site de poesias coligidas de
F E R N A N D O   P E S S O A
http://www.fpessoa.com.ar

<<Voltar-Volver>>


Contemplo O Lago Mudo
Contemplo o lago mudo
Que uma brisa estremece.
Não sei se penso em tudo
Ou se tudo me esquece.

O lago nada me diz,
Não sinto a brisa mexê-lo
Não sei se sou feliz
Nem se desejo sê-lo.

Trêmulos vincos risonhos
Na água adormecida.
Por que fiz eu dos sonhos
A minha única vida?
Contemplo el lago mudo
Que una brisa estremece.
No sé si pienso en todo
O si todo me olvida.

El lago nada dice,
No siento la brisa moverlo
No sé si soy feliz
Ni si deseo serlo.

Trémulas estelas risueñas
En el agua adormecida.
¿Por qué hice de los sueños
Mi única vida?

Fernando Pessoa
4-8-1930

©2004-10-31 by Sebastián Santisi, all rights reserved.


<<Voltar-Volver>>


la-nutria.com.ar