site de poesias coligidas de
F E R N A N D O   P E S S O A
http://www.fpessoa.com.ar

<<Voltar-Volver>>


Da Nossa Semelhança
Da nossa semelhança com os deuses
Por nosso bem tiremos
Julgarmo-nos deidades exiladas
E possuindo a Vida
Por uma autoridade primitiva
E coeva de Jove.

Altivamente donos de nós-mesmos,
Usemos a existência
Como a vila que os deuses nos concedem
Para, esquecer o estio.

Não de outra forma mais apoquentada
Nos vale o esforço usarmos
A existência indecisa e afluente
Fatal do rio escuro.

Como acima dos deuses o Destino
É calmo e inexorável,
Acima de nós-mesmos construamos
Um fado voluntário
Que quando nos oprima nós sejamos
Esse que nos oprime,
E quando entremos pela noite dentro
Por nosso pé entremos.
De nuestra semejanza con los dioses
Por nuestro bien saquemos
Creemosnos deidades exiliadas
Y poseyendo la Vida
Por una autoridad primitiva
Y coeva de Jove.

Altivamente dueños de nosotros mismos,
Usemos la existencia
Como la villa que los dioses nos conceden
Para, olvidar el estío.

No de otra forma aborrecerse más
Nos vale el esfuerzo de usar
La existencia indecisa y afluente
Fatal del río oscuro.

Como encima de los dioses el Destino
Es calmo e inexorable,
Encima de nosotros mismos construyamos
Un hado voluntario
Que cuando nos oprima seamos
Ese que nos oprime,
Y cuando entremos por la noche dentro
Por nuestro pie entremos.
Odes De Ricardo Reis
Ricardo Reis

©2005-01-12 by Sebastián Santisi, all rights reserved.


<<Voltar-Volver>>


www.fpessoa.com.ar